Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Entre o ar e a ribanceira

Mergulhei no horizonte até o fundo
Minha vista vagou feito poeira
Fui abismo, oceano e cordilheira
Conheci as entranhas deste mundo

Eu fui padre, fui rei e vagabundo
Fui livre e me jogaram na fogueira
Senti fome, dor e sede a vida inteira
Fui eterno no gozo de um segundo

[Fui]

Não mais do que consigo ser agora
Se a semente foi a flor de outra hora
Sou a cinza acumulada na lareira

Sou a ruga no rosto da senhora
A imagem do futuro me apavora
Caminhando entre o ar e a ribanceira.

Últimas postagens

Pegada na areia

Cansaço

Último sol

Tanto faz

O retorno

Desencanto

Órfão de sonhos

Desencanto e morte

EU MANDACARU

CANÇÃO DE UM ninguém