IEMANJÁ

Sujeito a todo defeito,
Lancei-me ao mar,
Sem sequer barco,
Com os braços a remar.
Pensei que lá me esperava,
Alva, prateada, Iemanjá.

Mas só vi água e sal
E não vi a ausência dela,
Só a ausência do ar...
Doei-me.

(pintura de Vanessa Lima)

Comentários

Postagens mais visitadas