ECOANDO

Inocente criança
Aportei nestas margens
Do Consciente
E meu olho era um espelho
Que ecoava as notas da Criação
Até que me desafinei
Talvez tenham quebrado
Minha caixa de ressonância
Não é mais como era
A assonância com o não-tempo

Foi-se.

Comentários

Postagens mais visitadas