Sem-nome

Sozinho
Um caminhante sem direção

Pequeno
Uma luz fosca na escuridão

Calado
Em meio ao grito da multidão

Porque sou amante da palavra
Mas o meu destino é o silêncio

E preciso entender as coisas 
Mas o que me basta dispensa explicações

Porque sou este corpo
Que pensa e ama
Que nasce e quebra
Que ocupa e falta 

Mas também sou algo
Que não cabe 
Que não basta 
Que não tem nome. 








Comentários

Postagens mais visitadas